Blog

BNDES Pilotos IoT – Internet das Coisas

13 de setembro

O BNDES Pilotos de IoT é um desdobramento do estudo “Internet das Coisas: um plano de ação para o Brasil”, apoiado pelo BNDES em parceria com Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e conduzido pelo consórcio McKinsey/Fundação CPqD/Pereira Neto Macedo Advogados.

Seu objetivo é a seleção de projetos-piloto de testes de soluções tecnológicas de Internet das Coisas (IoT) para apoio com recursos não reembolsáveis nos três ambientes priorizados: Cidades, Saúde e Rural.

Os projetos-piloto de IoT deverão ser apresentados até o dia 31 de agosto de 2018.

A participação do BNDES com recursos não reembolsáveis poderá chegar a 50% dos itens financiáveis. O valor mínimo do apoio do Banco a cada plano de projetos-piloto será de R$ 1 milhão.

Cada plano de projetos poderá apresentar até três casos de uso em um mesmo ambiente (Cidades, Saúde e Rural).

O que é um projeto-piloto de IoT?

A diversidade de aplicações da IoT requer o desenvolvimento de inúmeras tecnologias, abrangendo desde o componente semicondutor, passando por um chip, que transmite esse dado, até um servidor que trata a informação, transformando-a em conhecimento e agregando-lhe valor. Nesse contexto, a IoT é impulsionada por tecnologias habilitadoras, cuja arquitetura é organizada em camadas, formando uma rede globalmente acessível de coisas, provedores e consumidores.

Segundo a arquitetura de IoT definida pela Organização das Nações Unidas (ONU), as soluções de IoT têm como base quatro camadas tecnológicas, o que inclui tecnologias de: (i) dispositivos; (ii) rede; (iii) suporte a serviços e aplicações; e (iv) segurança da informação. A integração dessas quatro camadas é o principal desafio para que aplicações conceitualmente viáveis cheguem ao mercado, consolidando o processo de inovação.

Um projeto-piloto consiste em um ou mais casos de uso que serão testados em plataformas de experimentação (test beds) e/ou diretamente em ambientes reais de uso, como cidades, unidades de saúde ou propriedades rurais, cuja execução será por meio de testes em escala real e ambiente controlado, com ênfase em sistemas abertos e interoperáveis e engajamento de um conjunto amplo de atores, especialmente os usuários.

A execução dos projetos-piloto deverá incluir duas iniciativas principais:

• Integração de tecnologias
• Avaliação técnica do impacto

Quem pode apresentar projetos?

Instituições tecnológicas (IT): instituições públicas ou privadas, sem fins lucrativos, que tenham por missão institucional, entre outras, executar atividades de pesquisa básica ou aplicada de caráter científico ou tecnológico, bem como desenvolvimento tecnológico.

Instituições de apoio (IA): instituições criadas com a finalidade de dar apoio a projetos de pesquisa, ensino e extensão e de desenvolvimento institucional, científico e tecnológico de interesse de instituições federais, estaduais ou municipais de ensino superior ou de instituições de pesquisa científica e tecnológica, inclusive aquelas criadas ao amparo da Lei nº 8.958, de 20.12.1994. Projetos encaminhados por IA deverão apresentar uma IT responsável pela execução do projeto.

Conteúdo publicado originalmente no portal Exame.

 

Voltar